BLOG

A região da Amorosa - histórias e estórias

Buscar
  • Maria Inês Paes Ferreira


4 visualizações0 comentário
  • Maria Inês Paes Ferreira

As Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs) são Unidades de Conservação da Natureza (UC) criadas em áreas privadas, com caráter perpétuo, com o objetivo de proteger a diversidade biológica. Entre os instrumentos de gestão previstos para as RPPNs, está o Plano de Manejo. Trata-se de um documento técnico mediante o qual estabelece-se o zoneamento e as normas que devem presidir o uso da área e o manejo dos seus recursos naturais, inclusive a implantação das estruturas físicas necessárias à gestão da unidade. Segundo o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (Lei Federal 9.985/2000), o Plano de Manejo deve abranger não somente a área da UC, mas também o seu entorno e se possível sua zona de amortecimento e os corredores ecológicos próximos. Medidas para promover a integração das UCs à vida econômica e social das comunidades vizinhas devem também ser incluídas. O processo de elaboração do Plano de Manejo das RPPNs Águas Claras I e II, (inseridas na Estação Semente RPPN Águas Claras) busca integrar-se à comunidade, incorporando o saber popular local em associação com o saber técnico e de pesquisadores presentes na região. A etapa de diagnóstico da RPPN e seu entorno baseia-se em uma construção participativa, associando seus programas e propostas ao zoneamento permacultural e à agricultura sintrópica.

Nesse sentido, no dia 18 de março, em Conceição de Macabu, foi realizada a I Oficina do Plano de Manejo das RPPNs Aguas Claras I e II, com o apoio do Instituto Federal Fluminense (IFF) e da Prefeitura Municipal de Conceição de Macabu. Estiveram presentes no evento o Secretário e a equipe da Secretaria de Meio Ambiente de Conceição de Macabu, o Superintendente e um analista técnico da Superintendência do INEA de Macaé, a Diretora de Pesquisa e Extensão e a Coordenadora dos Cursos Técnicos em Meio Ambiente do Campus Macaé do IFF, o Coordenador do Programa de Mestrado Profissional Ambiente, Sociedade e Desenvolvimento do Instituto NUPEM/UFRJ, o Coordenador e discentes do Bacharelado em Engenharia Ambiental, docentes e discentes do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Ambiental e da Pós-graduação em Educação, Ambiente e Sustentabilidade e do Doutorado em Modelagem e Tecnologias para o Meio Ambiente Aplicadas em Recursos Hídricos (AmbHidro) do IFF, representantes do Comitê de Bacias do Baixo Paraíba do Sul e Itabapoana (CBH-BPSI), da Associação Pró-gestão das Águas da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul (AGEVAP), moradores e frequentadores da região da Amorosa.



O Coordenador do Plano de manejo, Guilherme Sardenberg Barreto (da empresa BIO Sociedade Ambiental, contratada pela proprietária) apresentou os principais resultados dos levantamentos de fauna e flora já realizados até o momento, complementando com os presentes as informações sobre outros animais e plantas característicos do local, numa roda de conversa. A proprietária das RPPNs, Profa. Maria Inês Paes Ferreira falou sobre os Programas do Plano de Manejo, ressaltando a importância das parcerias para dar conta de alcançar os objetivos de conservar a Natureza e incentivar a visitação com mínimo impacto ambiental, e apresentou a proposta da permacultura, abordando os principais projetos previstos para a propriedade, que é uma Estação Semente associada ao Instituto Pindorama. Foi dado destaque ao Sistema Agroflorestal (SAF) que está sendo elaborado, momento no qual os presentes deram sugestões de cultivos agrícolas que se adaptam bem ao local, são rústicos e não requerem manutenção diária.




29 visualizações0 comentário
  • Maria Inês Paes Ferreira

A Permacultura busca otimizar os fluxos de matéria e energia, integrando entradas e saídas do sistema, à luz do seu primeiro princípio "observe e interaja", para reforçar a teia da vida. Na centralidade dos fluxos da Estação Semente Águas Claras está a exuberante Natureza da Mata Atlântica e as águas cristalinas do rio Carukango!



4 visualizações0 comentário
1
2